sexta-feira, novembro 17, 2006

Capítulo 12 - Monte Kailash




Este vídeo (em inglês) lhe ajudará a ter uma idéia do que estamos falando sobre o Monte Sagrado Kailash no Tibete. Adicionado no dia 28 de julho de 2008. Música Avataran de Sahil Suraj Jagtiani.

As alturas do Monte Kailash




O Monte Kailash ou Kailasa é o sétimo chacra do Planeta. É o Sahasrara planetário. Este é o chacra coronário, aquele que sublima todas energias pela qual a Terra entra em contato com as energias superiores do Universo. Aqui é o topo. Assim como a cada metro que subimos em uma montanha, o ar se torna mais rarefeito, do mesmo modo, a cada grau que subimos na circulação dos chacras nos tornamos mais sutis, mais abertos às coisas espirituais.

O Monte Kailash, fica no Tibete e da altura de seus 6.730 metros, é sagrado para quatro grandes religiões da humanidade: o budismo, o hinduismo, o jainismo e o bön po, (religião nativa do Tibete). É também no Monte Kailash e em suas redondezas onde estão as fontes de quatro grandes rios da Terra: o Indus, o Sutlej, o Bramaputra e o Humla Kamali – este último, por sua vez, um dos afluente do rio Ganges – também sagrado.

Para os hindus, o Monte Kailash - que significa “Brilhante como o Cristal” é a morada de Shiva – a suprema divindade. É ainda o símbolo do Monte Meru das lendas e mitos. O monte Meru é o eixo do mundo, a espinha dorsal da terra. O lugar onde aspiram chegar todos os devotos. Para os budistas, o Monte Kailash é o Gang Rinpoche que significa “Preciosa Jóia das Neves Geladas” onde vive Demchog – o Buda da Compaixão de quem o Dalai Lama é a reencarnação.

Já os dois milhões de jainistas, uma religião fundada 600 anos antes de cristo chamam a montanha sagrada de Ashtapada, e acreditam que Rishabanatha, o seu fundador, recebeu a iluminação no topo da Sagrada Ashtapada. Os Bön-po – religião nativa do Tibete - veneram a montanha como “a alma da região”, a montanha da suástica.

É apropriado destacar aqui que o uso do símbolo da suástica pelos nazistas no século passado, foi um caso sério de “roubo” de conceitos e símbolos sagrados de outros povos. A suástica tem sido usada no Oriente como um símbolo de boa sorte e de progresso espiritual. A raiz da palavra é “svasti” em sânscrito que quer dizer bem-estar. Não foi o que a suástica nazista trouxe ao mundo. O uso não-autorizado da suástica, acreditam os povos da suástica, trouxe o contrário para aqueles que dela abusaram e as conseqüências deste mau uso ainda nos perseguem.

Hoje o Monte Kailash está sob o domínio da República Popular da China que adotou um sistema materialista de Governo, que desestimulou qualquer atividade mística, religiosa ou espiritual. O Tibete foi ocupado. Porém mesmo as autoridades chinesas – em um gesto de inteligência – não impediram as peregrinações anuais de hindus, jainistas, budistas, bon-po e esotéricos de todos os países do mundo. Na peregrinação do Monte Kailash, os fiéis dão voltas ao redor da montanha.

Esta volta ao redor da montanha é chamada de “circumambulation”, uma (per)ambulação em circulo e a pé. Os hindus chamam a esta circulação ritual de “parikrama”. Os tibetanos a ela se referem como “kora”. Aos pés do Moute Kailash há um lago, também sagrado. É o lago Manasarovar, considerado o lago de água doce mais alto do mundo, onde os peregrinos das quatro religiões acampam. Aqui vemos uma semelhança com o Lago Titicaca (o lago navegável mais alto do mundo), cercado pelas montanhas sagradas dos Andes.

Sobre o Sagrado Manasarovar, o poeta hindu Kalidasa diz: “Quando o Manasarovar tocar o seu corpo, irás ao paraíso e te libertarás dos pecados de mil nascimentos”. Dos sete chacras do Planeta, o Monte Kailash, Ashtapada ou Kang Rinpoche parece ser o mais protegido devido à quantidade de religiões diferentes que o veneram.

Um comentário:

isekailash disse...

O Monte kailash .Pra min e um refugiu isperitual de grande poder,um dos lugares mais lindos!!!!
onde o avanço espiritual se dá atraves do esforço físico;mas a recompensa e indiscritível!